Vamos dançar!


Aproveitando a vibe musical do post anterior, lembrei que semanas atrás fui conferir a lista dos novos seguidores do WOOF Brazil no Twitter e chamou minha atenção quando vi entre eles um perfil chamado @BearExplosion. Lá fui eu saber do que se trata.

Um grupo de ursos que moram em Manchester se reuniu para gravar vídeos de paródias musicais que um dia já foram sucesso. As letras oficiais são substituídas por versos que remetem ao universo bear. Entre as performances está o hit de uma das primeiras boy bands dos anos 90: "I Want It That Way" dos Backstreet Boys. Na versão ursina, o nome da banda pop recebeu o singelo nome de BackRoom Bears.
Aqui estão todas as paródias:



O objetivo dos garotos do Bear Explosion é produzir vídeos engraçados satirizando o estilo de vida, a forma física e o cotidiano de um urso em seu habitat natural, isto é, em baladas ursinas e em mais onde tiver espaço dedicado aos nossos amigos gordos e peludos.
Esse outro vídeo demonstra exatamente isso. Um chaser ou twink, como quiser chamá-lo, critica a parte do corpo que geralmente todo urso tem em tamanho exagerado, depois da barriga, é claro. A BUNDA! O Bear Explosion fez um rap pra defender as bundas gordas e peludas dos nossos ursões.



No site do grupo tem muito mais coisas que valem a pena conhecer.

Ainda falando sobre música...

E não é que criaram uma boy band para a comunidade ursina!


No famoso estilo Backstreet Boys, os garotos do CUBSTARS - que estão mais pra lobos do que pra ursos - se apresentam em eventos cantando e dançando coreografias que parecem que foram inspiradas nas divas do pop. Olha só:



Eles são de Londres e também de Manchester.

Já na Espanha, a dupla de ursos do BARB@ZUL lançou o clip da música "Oso de peluche" que faz parte do álbum "Hijos de Adan":



E aqui no Brasil...

Um carinha que atende no Facebook pelo nome de Bear Valentin Evandro Valentin quer montar uma banda ursina e procura candidatos. Se você se interessou, vá até ao perfil do rapaz e mande uma mensagem pra ele.

0 comentários :

Bob Mould é o daddy bear do rock'n'roll











Um leitor chamado Renato enviou uma sugestão de post que os amantes do rock vão curtir muito. Pena que ele não deixou um endereço de email válido para que eu pudesse agradecê-lo.
Renato, se você estiver lendo esse post, saiba que estou feliz em saber que o WOOF Brazil atrai leitores que sugerem temas para a produção de conteúdo do blog. =)

Então vamos lá!

Conhecem esse daddy bear?


O guitarrista barbudo se chama Bob Mould. Como o próprio Renato citou na mensagem, Bob é "uma lenda viva do rock alternativo/punk dos Estados Unidos". Além disso, o rapaz é gay e referência na cena bear americana sendo DJ das festas ursinas Blowoff e Distortion+.

Recentemente Bob Mould participou, com guitarra e voz, do último álbum do Foo Fighters (Wasting Light) na música "Dear Rosemary":


O artista lançou no final de junho sua biografia com declarações polêmicas sobre a cultura gay, afirmando que ele não apoia o comportamento efeminado dos membros da comunidade.

0 comentários :

Provincetown Bear Week 2011











Começou no sábado passado e encerra amanhã a semana de festividades ursinas numa cidade que, geograficamente, lembra muito o Rio de Janeiro.
Provincetown é localizada no estado de Massachusetts (Estados Unidos), banhada por uma costa litorânea de causar inveja e é um dos mais importantes redutos gays americanos.

Está pra nascer a região mais eclética do que Provincetown. Ela é conhecida por promover eventos como festivais de rock e cinema, programas culturais para toda a família e, principalmente, parar a cidade com uma semana inteira dedicada aos ursos: A Provincetown Bear Week que é dona de uma vasta programação com direito até a stand up de atores ursos.

Esse ano o evento foi escolhido como cenário para as gravações de Bear City 2. A continuação do filme que apresenta a cultura ursina americana de forma divertida e emocionante.

Já que essa cidade lembra o Rio, parei pra pensar como seria uma bear week carioca:

1) O evento aconteceria durante o carnaval pra aproveitar o clima de verão e somar com os turistas que migram pra cá;
2) A concentração seria na praia de Ipanema em frente à Rua Farme de Amoedo;
3) De dia os ursos curtiriam a praia e à noite aconteceriam eventos intercalados entre reuniões em baladas, saunas e bares (onde teriam partidas de sinuca, poker e karaokê);
4) Também iria acontecer o concurso Mr. Bear Carioca;
5) No último dia rolaria uma rave no mesmo local da concentração (Praia de Ipanema/Farme de Amoedo).

Seria a Bear Week dos sonhos! =D

0 comentários :

Teasers Subwoofer


Já falei aqui em outra ocasião sobre a Subwoofer que é uma série de festas bears italianas.
Visitei várias páginas de ursos no Facebook e encontrei dois vídeos de divulgação dessas baladas.

Teaser 01:


A música é contagiante, mas o pior é que esse vídeo me lembrou os comerciais da Xuxa para o hidratante Monange.
Pode falar, te broxei né? (haha)

Teaser 02:


COM CERTEZA esse é o melhor vídeo!

0 comentários :

Artes plásticas em camisetas ursinas











Camisetas relacionadas ao mundo bear significam a mesma coisa quando um nerd reverencia uma linha de vestuário baseada em Star Wars e afins.
É mais do que um simples pedaço de pano pra vestir, é uma obra de arte!

Obra de arte: Esse é o termo que define exatamente o que um rapaz chamado Flavio, um paranaense de 25 anos que mora em São Paulo, faz ao pintar camisetas com desenhos ursinos.
Troquei uma ideia com o cara pelo MSN pra saber mais sobre o projeto Hot Box t shirts. Nome da grife das tais camisetas que são usadas como telas para receber seus desenhos.

Aí vai uma breve entrevista com o artista plástico:

WB: Por que o nome Hot Box?

Flavio: As ideias fervilham na minha caixa (cabeça). Por isso o nome da marca Hot Box t shirts.


WB: Que diabos deu em você pra pintar camisetas?

Flavio: Já faço camisetas há um tempo, mas parei e comecei a pintar telas. Percebi que uma camiseta não leva uma simples estampa e sim uma arte, saca? Todo mundo gosta de ter uma peça diferente no armário. Então resolvi, ao invés de uma tela usar a camiseta como forma de trabalhar com as tintas.
Para mim não é uma simples estampa, é uma forma de usar arte na hora de se vestir. Lógico que uma estampa segue um certo padrão, mas minhas telas são bem nesse estilo. Resolvi unir os dois pontos: camiseta mais arte.


WB: De onde veio a inspiração pra desenhar ursos?

Flavio: Eu criava os desenhos, mas fazia a estampa com transfer que é uma qualidade baixa. Desbota muito facilmente e não tinha motivos bears. Na época nem conhecia esse universo de urso. Depois de conhecer esse meio, percebi que tem uma certa carência de produtos voltados a esse público e resolvi fazer algumas de minhas estampas destinadas a eles. É uma área bem bacana, dá para criar muita coisa legal.


WB: Está claro que o jovem artista plástico é chegado num urso, né? Mas aviso aos solteiros que Flavio já tem seu ursão. Até perguntei se ele já desenhou inspirado no seu love:

Flavio: Ainda não, mas eu pretendo criar vários tipos de estampas. Não só para ursos, mas sempre terei novidades para eles. Tanto é que quase todas que desenhei são para esse público.


WB: Como é feita a produção das camisetas?

Flavio: Faço o esboço do desenho, passo para o computador, vetorizo a imagem, coloco cor e disponibilizo na internet (Facebook). Assim que o cliente faz o pedido, eu pinto com tinta acrílica de tecido e envio a camiseta.


WB: Além das estampas que você cria, você também produz de acordo com qualquer desenho que o cliente pedir? Por exemplo: Quero a estampa de um um urso moreno todo tatuado. Você faz?

Flavio: Faço, sim. Como a pintura é manual, dá para transformar qualquer desenho em estampa.


WB: Quanto custa uma camiseta?

Flavio: No meu ponto de vista, por ser um trabalho todo manual e serem estampas um tanto exclusivas, pois vou procurar não repetir mais do que cinco camisetas por estampa, em média 50 reais por camiseta.


WB: Só 50 dilmas?! Não é barato demais para uma peça tão exclusiva?

Flavio: Já pensei em cobrar mais, mas acho que as pessoas vão entender como um simples artesanato e preferem gastar muito mais por uma camiseta na loja.


WB: Como rola a transação da grana?

Flavio: Como não tenho empresa aberta, eu passo o número da minha conta para o cliente, pego o endereço do mesmo, assim que o dinheiro cair na minha conta eu faço a camiseta e envio pelo correio, mas estou estudando outras possibilidades.
Se o cliente for de São Paulo, eu posso entregar pessoalmente. Mas acho melhor pelo correio.
Sei que algumas pessoas podem ficar com o pé atrás, mas eu me garanto e se tenho o compromisso com a pessoa, a camiseta vai estar não mão dela. Não quero dinheiro de ninguém, quero trabalhar por ele.

0 comentários :