Futebol É Pra Macho!


O que gay e mulher têm em comum em época de Copa do Mundo/Das Confederações/Brasileirão? Se interessam como ninguém pelo evento e depois que termina ignoram o ~mais importante esporte brasileiro~. É difícil ver gay fanático por algum time ou jogar bola com os amigos...heteros porque, né, time gay brasileiro é mais raro que mico leão dourado.

O cenário é um pouco diferente em alguns países como Austrália e Israel. Olha só:

Rainball Tel Aviv

A segunda maior capital de Israel abriga um time de futebol amador, chamado Rainball Tel Aviv, que nasceu em junho do ano passado. O grupo tem cerca de 50 jogadores de diferentes idades (bastante gente, né?), que se reúne para jogar duas vezes na semana: aos domingos e às quintas-feiras.

Além de promover as partidas, o clube preza pela discrição se preocupando com os membros que não assumiram sua sexualidade. Não é necessário ter aptidão ou conhecimento pra participar. Todos são bem vindos. Todos uma vírgula! Apenas os árabes gays é que são.

Confira algumas fotos do time:



Instagram deles está repleto de fotos "mais a vontade":




Sydney Rangers Football Club

Desde 1997 existe na Austrália o Sydney Rangers Football Club, um time formado por três equipes separadas por idade: 18 a 25 anos, 25 a 35 anos e 35 anos ou mais. Sempre após os treinos acontece uma confraternização regada a muita cerveja no The Midnight Shift (um hotel para homens gays - tipo o Chilli Pepper em São Paulo - que também é patrocinador do clube). Os jogos acontecem aos domingos.

Os jogadores já fizeram um ensaio sensual e você pode conferir aqui.

Fotos da galera:




5 comentários :

Meu melhor amigo | Fora da Toca #5


Tenho esse meu amigo que conheci no colegial, na época a gente começou a andar junto o tempo todo e nos dávamos muito bem. O tempo foi passando e eu fui morar em outra cidade, que era vizinha a cidade q estava e isso nos afastou um pouco. Fui crescendo e entendendo que era gay, fiquei com muito medo de dizer a ele (ou a qualquer pessoa), pois tinha muito medo da reação. Então achei que deveria fazer novos amigos com o pensamento “Sou gay e preciso gostar de gays e reprimir os héteros ” comecei a fazer novos amigos e afastar os amigos antigos, porem com o passar do tempo fui perceber que estava num grupo de amigos que não me faziam bem. Acabei deixando essas novas amizades p/ trás e voltei para os antigos amigos com a ideia de que eu deveria contar a eles a verdade. Fui contando aos amigos mais próximos, porem esse amigo do colegial ficou p/ trás, pois na época estava namorando e não o encontrava muito.

Depois de um certo tempo, ele terminou o namoro e foi ai que voltamos a nos falar. Nesta mesma época eu resolvi assumir. Não houve mudança no tratamento, apesar que tive amigos que não tiveram a mesma atitude. Eu entendo a reação dessas pessoas por mais q eu tenha medo, afinal não posso forçar as pessoas a me aceitarem só porque sou gay, cada um faz de si a sua escolha. Por mais que eu fique chateado com a situação, não era meu direito, eu escolhi me entender com gay e contar as pessoas, ninguém é obrigado a engolir (risos), você tem todo o direito de decidir se acha isso relevante para a amizade ou não.

Mas voltando a esse amigo, independe de ele ser gay ou hétero  gosto muito dele (antes que comecem os “hummmmmmmm”, já vou avisando que não dou em cima de amigos hehe), e nem por isso fico rotulando ele, faço varias piadinhas com ele e o mesmo acontece de volta. Acho divertidíssimo poder usar de trocadilho para a situação, e por mais que seja uma piadinha, eu não me ofendo, porque eu sei que quando ele fazer algum tipo de piada que possivelmente me ofenda, o mesmo vai pedir desculpas, mesmo que não precise. Quando faço amizade com alguém eu não me importo com a raça, idade, religião, sexo, consoles que gosta, etc. Gosto muito de observar atitudes, jeitos e modos. Adoro ver algo diferente, cabelos coloridos, tatuagens, maneira de se vestir, etc... como eu gosto dessa diversidade de coisas.

Quando eu me entendi como gay, achava que deveria andar apenas com gays e deixar os héteros de lado, pois achava que todos iriam me recriminar e eu iria sofrer muito, por mais q isso tenha acontecido, achei que era a coisa certa a fazer e não ficar em mentiras. Depois de um tempo eu vi a tamanha burrada que havia feito quando me afastei das pessoas com esse pensamento, consegui manter o contato, porém não é a mesma coisa, as pessoas mudam (como deveria ser), crescem, evoluem, ganham exp, passam por situações diferentes de acordo com a vida. O mais legal foi que apesar do afastamento eu e esse amigo ficamos mais unidos que antes, eu sei q posso contar com ele e vejo que passamos por situações bem parecidas em relação a cotidiano. As vezes fico imaginando em um universo paralelo (gosto dessa ideia), e se ambos fossemos gays ou héteros .. ia ser diferente? Tenho essa curiosidade, adoro trabalhar com a ideia de diversas dimensões.

Se você for gay, hétero  lésbica  travesti, escova de dente, batman... não seja preconceituoso com o outro por conta das escolhas, saiba entender pelo o que a pessoa passa ou passou na vida. Não sejamos maldosos com as pessoas por conta de algumas que fazem mal a você. Não é justo colocar a culpa neles pelas escolhas feitas por nós. O mesmo acontece do outro lado da moeda, e dai que você tem um amigo gay (no geral), isso é mesmo relevante?


2 comentários :

#OBrasilAcordou e o que os ursos têm com isso?



As manifestações que tomaram o Brasil pra reivindicar o aumento da passagem de ônibus cresceram de tal forma, conquistando milhares de adeptos, que agora há uma pluralidade quantos aos motivos dos protestos. Tá indignado com a inflação? Vai pra rua protestar! Tá puto com os gastos da Copa do Mundo? Prepare um bom cartaz e libere o manifestante que há dentro de você!

No meio de todo esse auê (coisa que não se via desde a Passeata dos Cem Mil e do movimento Diretas Já) eis que ressurgiram o deputado Vanessão Feliciano e sua trupe, que aprovaram na comissão dos direitos humanos o projeto da Cura Gay. Pronto! Mais um estopim pra somar com a galera que está engajada por manifestar.

Lógico que não é de hoje que ocorrem protestos contra a perseguição aos gays liderado por Feliciano, mas o momento é ideal para que a comunidade LGBT ganhe força se unindo aos demais manifestantes que protestam por outros motivos. É só seguirmos a forma como o Movimento_Passe_Livre_de_São_Paulo se organiza: os membros dessa instituição estão desde 2005 promovendo debates para explicar como as cidades podem garantir o direito de ir e vir, se decretarem a tarifa zero nos transportes públicos.

Um fato curioso é que o MPL é apartidário, porém nem por isso recusa receber apoio dos partidos políticos. Por isso vejo como uma tremenda ignorância hostilizar nas passeatas os ativistas que erguem bandeiras dos seus respectivos partidos, porque eles estão na luta desde o início do movimento.

A população brasileira acordou e parece que nem tão cedo os protestos vão cessar. Nós gays temos que nos unir às diferentes pessoas que se manifestam contra inúmeras pautas como a corrupção ou por melhorias na saúde. Não há líderes, não há apenas um objetivo. Somos uma parcela da sociedade que deixa de ser minoria quando se junta aos cidadãos que anseiam por um país melhor.

Agora falando especificamente pra gente que representa a cultura ursina, um episódio que aconteceu na França (quanto à aprovação do projeto de lei a favor do casamento gay) foi a iniciativa dos ursos franceses que se uniram com todos os LGBTs na marcha que apoiou a união homoafetiva. Olha a foto:

A frase estampada na faixa diz: OS URSOS QUEREM TER LUA DE MEL

Em quais situações os ursos brasileiros se juntam? Não é preciso pensar muito pra responder essa pergunta. Apenas na Parada Gay de São Paulo é que conseguimos ver um bando considerável da espécie, ou seja, a comunidade ursina do Brasil se engaja apenas pra participar de ferveções, pegações, baladas e saunas. É mais fácil avistar grupos menores, geralmente formados por amigos próximos, nas tais manifestações que ocorrem atualmente. Eu não queria que fôssemos assim. É chato criticar o próprio nicho que faço parte, mas é a realidade.

Enquanto isso, aí vai um recado pro Feliciano:



~~//~~
Curta nossa Fanpage ~~> Facebook.com/BrasiLWooF
Siga-nos no Twitter ~~> @WooFBrasiL
~~//~~


0 comentários :

Bem vindo ao novo WooFBrasiL




Estamos de volta e de cara nova! \o/

Depois de um longo período de hibernação, nossa toca retorna com layout novo produzido pelo nosso designer Dani e pelo nosso programador Dudu. Parabéns para essa dupla que se empenhou ao máximo para dar uma cara nova e original ao WooFBrasiL! =D


Durante alguns meses que ficamos ausentes (as vezes postando de forma aleatória) fizemos várias reuniões para definir a nossa linha editorial, com o objetivo de deixar o blog mais profissional. Por isso organizamos o WB nas seguintes editorias:

O já tradicional podcast do WooFBrasiL contará com um episódio inédito sempre na última semana de cada mês.

Ratu vai soltar o verbo sobre o que pensa a respeito do mundo gay, isto é, opiniões que vão além da tribo dos ursos, totalmente fora da toca!

Tiw traz pra gente uma extensão dos seus posts publicados em seu blog, o Testosteronas em Fúria, só que muito mais polêmicos pra meter medo na ursarada!

Qualquer assunto pode virar post nas mãos do Dudu: pelugem, barba, comportamento, estilo... Tem urso no meio? Então tá dentro dessa sessão!

Análises sobre diversas redes sociais para ursos, as populares hashtags ou os lendários memes criados pela comunidade ursina serão apresentados.

Reviews de produtos e lojas para o público ursino.

Você, caro leitor, espero que tenha gostado do nosso novo visual e continue nos acompanhando porque muita novidade ainda vai acontecer por aqui. =)

WooF!

1 comentários :